Linha do Tempo

1980

1980 – O DESPERTAR

Claudia Cristina Leite Inácio Pedreira nasce em 10 de julho de 1980, em São Gonçalo, no interior do Estado do Rio de Janeiro. Ainda nos primeiros dias de sua vida muda-se com a família para Salvador. E é no velho Largo da Saúde, e em suas ruas de calçamentos irregulares, que vive boa parte de sua infância – bem como descobre seu gosto pela música.
Embora tenha nascido em outro estado, Claudia se considera baiana. Nada mais natural: na Bahia, repleta de misticismo, arte, cultura e música, firma-se de modo irreparável ao tempero de sua terra.

DÉC.1983

1983 – ELA SUBIU NO PALCO

A primeira vez de Claudia Leitte num palco foi inesquecível – pelo menos na visão de seus pais, dos quais dribla a vigilância, aos 3 anos de idade, e sobe no palco de uma churrascaria. Aproveitando o intervalo feito pelo cantor que se apresentava, dispara no microfone: “Emília, Emília, Emília...”, música tema do Sítio do Picapau Amarelo.

1993

UMA ADOLESCENTE DESCOBRE A MÚSICA

Ainda menina, com cerca de 10 ou 12 anos, a pequena Claudia já sabia que queria ser cantora. Autodidata, compra revistas de partituras e conquista seus primeiros acordes no violão, numa história que se provaria de amor eterno.
Pouco mais tarde, aos 13 anos, ela abraça sua primeira chance e estreia como backing vocal do cantor e compositor baiano Nando Borges. Logo ingressa nas faculdades de Música, de Direito e de Comunicação, mas o amor pela música definitivamente fala mais alto e Claudia opta pelo curso de Música, uma especialização que não conclui, pois a vida a formaria: a carreira começa a se desenhar por meio da Banda Violeta, um grupo de forró em que ela dá os primeiros passos profissionais.

Carreira 2000 2011
O SONHO TOMA FORMA

Voltando no tempo, em 2003, inicia sua carreira como vocalista do Babado Novo, em Salvador. Assim como ocorre nesse período, até os dias atuais embala mais de três milhões de foliões em todos os carnavais, a maior festa popular brasileira.

Sua virada para a carreira solo se dá em 2008, com projeto grandioso: seu primeiro álbum, Ao Vivo em Copacabana, gravado e filmado para sua versão em DVD na célebre praia do Rio de Janeiro, aglomera uma multidão de um milhão de pessoas e origina outros números superlativos. O álbum recebe discos de ouro e platina triplo e firma Claudia como uma das maiores estrelas do território nacional. A sequência não poderia ser melhor. As Máscaras, seu disco seguinte, de 2010, é indicado na categoria de Melhor Álbum Pop Contemporâneo para o Grammy Latino. Já em 2011 seu sucesso Locomotion Batucada é apresentado e transmitido para 190 países durante a final do tradicional concurso Miss Universo, totalizando dois bilhões de espectadores.

2012 2014
NOVOS ESTILOS

Em plena ebulição, em 2012, lança Negalora-Íntimo, que revela Claudia em estilo musical diferente – um momento que assinala a capacidade de transformação de uma intérprete e compositora que não para de se reinventar, sem negar suas origens. Em 2014 resgata suas raízes com Axemusic, homenageando o ritmo que faz parte de sua essência – este também gravado ao vivo num estádio brasileiro.
Multifacetada, ainda em 2014 inicia o projeto Sette e apresenta-se na abertura da Copa do Mundo de 2014, com We Are One, a canção oficial do evento, entoada por Pitbull, com sua voz e a de Jennifer Lopez. Assim prova que festa e estilo é com ela mesma: desde 2012 é jurada da versão nacional do reality show The Voice Brasil, da Rede Globo, que acaba de encerrar sua quinta temporada com Claudia sendo a única representante feminina e uma das mais amadas da telinha – tal qual é na música.

2016

UM PASSO FORA DA CASINHA

De modo natural e como evolução em sua trajetória repleta de investidas ecléticas, a cantora prepara para 2017 seu próximo álbum, em parceria com a produtora americana Roc Nation. A novidade ganhou o Brasil e, claro, o mundo. O site da MTV nos Estados Unidos, por exemplo, elencou 19 motivos que fazem de Claudia Leitte uma popstar.

O ano de 2015, vale ressaltar, foi outra verdadeira locomotiva em sua história. Ela lança as canções Signs ¬¬– apreciada por brasileiros, em versões em português e inglês¬, sendo a sétima e última música do projeto e EP Sette –, Shiver Down My Spine e Corazón, com a participação do rapper porto-riquenho Daddy Yankee.

Corazón, aliás, lançada em 17 de dezembro de 2015, foi definida pelo crítico de música Thales de Menezes, do jornal Folha de S.Paulo – o maior periódico impresso da América Latina –, como “um turbilhão dançante com personalidade que permite uma conversa entre beats eletrônicos, tambores e cavaquinho”. Mesmo cantada em espanhol, tornou-se um dos maiores sucessos do verão de 2016, com clipe visto por mais de 11 milhões de pessoas no YouTube.

2016 Atual

O MOMENTO ATUAL

Taquitá, uma música ensolarada e com letra superfeminina, é a aposta de Claudia Leitte e sua nova música de trabalho. Composta por Claudia junto com Tierry, Samir e Breno Casagrande, a canção foi produzida em Los Angeles, nos Estados Unidos, gravada na Bahia e logo ganhou as redes sociais e a imprensa ao ser lançada com exclusividade no portal da revista Rolling Stone, no Brasil. Falando em redes sociais, Claudia é também um fenômeno na web: são mais de 30 milhões de seguidores, quando somados Facebook, Instagram e Twitter.

Taquitá segue o plano de Claudia Leitte de investir em diferentes batidas. Além disso, a cantora já se prepara para o projeto Carnaval de 2017, em fevereiro próximo, que inclui o novíssimo bloco Blow Out, na sexta-feira, dia 24, e o já tradicional Largadinho, nos dias 26 e 28, domingo e terça-feira – ambos em Salvador – e também um show no sábado, dia 25, em Muzambinho, Minas Gerais.
Além do novo clipe, fique de olho: em breve Claudia Leitte terá novidades surpreendentes. Afinal, ela táquitá!

© Copyright Claudia Leitte 2016